SINPROSASCO repudia atos violentos dos policiais do BAEP contra estudantes na Assembleia Legislativa

SINPROSASCO repudia atos violentos dos policiais do BAEP contra estudantes na Assembleia Legislativa

A diretoria do SINPROSASCO manifesta seu repúdio aos atos truculentos da Polícia Militar realizados na última terça, dia 21 de maio. O “palco” foi a ALESP (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) e praticados contra os jovens que foram impedidos de participarem da sessão que aprovou o Projeto de Lei Complementar (PLC) 9/2024. O texto é responsável pela criação de escolas cívico-militares no Estado de São Paulo.

Infelizmente, os estudantes, além de serem proibidos de acompanhar a votação, sofreram agressões e foram detidos pelos policiais do BAEP (Batalhão de Ações Especiais de Polícia). É revoltante testemunhar esse tipo de autoritarismo em pleno exercício democrático. Reiteramos enfaticamente nossa indignação diante de atos antidemocráticos que ocorrem de forma tão escancarada e sem qualquer resposta adequada.

“Todo cidadão tem o direito de acompanhar a votação de qualquer lei ou projeto, especialmente quando a pauta é controversa e de grande impacto para a sociedade.”

É inaceitável os estudantes, que buscavam exercer seu direito de participação política, serem tratados com tamanha brutalidade. O papel das instituições de segurança deve ser o de proteger os cidadãos e garantir a ordem, não de reprimir a liberdade e o direito à manifestação.

O SINPROSASCO reitera seu compromisso com a defesa dos direitos democráticos e a valorização da educação como pilar fundamental para o desenvolvimento da sociedade. Continuaremos vigilantes e atuantes na denúncia de qualquer violação aos direitos dos estudantes, Professores, cidadãos em geral!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×