ENSINO SUPERIOR | Assembleia rejeita a proposta do patronal: se não houver avanço, é GREVE!

ENSINO SUPERIOR | Assembleia rejeita a proposta do patronal: se não houver avanço, é GREVE!

Na última segunda-feira, 08/05, aconteceu mais uma decisiva Assembleia de Professores do Ensino Superior Privado de Osasco e Região para discutir os rumos das negociações da Campanha Salarial 2023. Os professores reunidos na sede do Sinprosasco discutiram a proposta apresentada pelo sindicato patronal, que foi rejeitada pelos professores.

A categoria exige respeito e que as suas reivindicações sejam atendidas, principalmente no que diz respeito ao reajuste salarial, condições de trabalho adequadas e o pagamento do dissídio de 2022. 

Relembre o histórico das negociações

De fevereiro até agora, já foram 9 rodadas de negociações com as mantenedoras. Os sindicatos dos professores, representados pela FEPESP, desde o início apresentaram propostas plausíveis e viáveis, incluindo a exigência de pagamento do reajuste de 2022, que foi determinado pelo Tribunal Superior do Trabalho, mas suspenso pelo STF. Já o sindicato patronal, vem fugindo da responsabilidade e oferecendo propostas rebaixadas que não condizem, nem de perto, com as reivindicações da categoria. 

Próximos passos

A próxima rodada de negociação está marcada para o dia 11/05 e a categoria espera que haja avanços nas propostas apresentadas pelo patronal. Caso contrário, os professores poderão adotar a medida mais extrema, a greve, como forma de pressionar as instituições a atenderem suas demandas. Chega de enrolação e de desrespeito com a categoria!

Além da reunião de negociação, é fundamental que nesses próximos dias a categoria amplie sua mobilização para colocar as mantenedoras contra a parede. Converse com seus colegas, fique atento e compartilhe as informações e convocações do Sinprosasco e da FEPESP.

Os últimos anos foram marcados pela crise econômica e incertezas. Os salários estão sendo corroídos pela inflação. Os impactos da pandemia afetaram profundamente as condições de trabalho nas Instituições de Ensino Superior, promovendo mudanças permanentes. Por isso, é fundamental que os professores tenham seus direitos e condições de trabalho garantidos. 

A luta pela valorização dos professores do ensino superior privado é uma luta de todos, e deve ser apoiada por toda a sociedade!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×