Matemática transforma vida de adolescente em Alagoas

Matemática transforma vida de adolescente em Alagoas

Wellington José, de 17 anos, é de Maceió e ganhou uma bolsa para estudar na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.

O adolescente alagoano Wellington José Leite da Silva, 17, vai ter uma vida nova em 2020 graças à educação. O jovem, que já precisou estudar com luz do poste quando a energia da casa dele foi cortada por falta de pagamento, passou no vestibular da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, e ganhou uma bolsa de estudos para poder cursar matemática aplicada.

Wellington lembra que o amor pela matemática começou ainda muito cedo, quando era criança.

“Quando eu era pequeno, eu peguei um caderninho, aí eu tava aprendendo a contar de um a dez. Aí eu comecei a contar, eu queria saber até onde iam os números. Aí eu cheguei em cinco mil, dez mil, eu fiquei maravilhado porque aquilo ali não estava acabando. Eu comecei a me motivar a estudar para aquilo, porque eu achava uma coisa muito interessante”, conta o estudante.

A mãe de Wellington é analfabeta e o criou vendendo material reciclável em Maceió, na capital do estado. Ela não mediu esforços para manter o filho na escola.

Leia Também:
MEC prevê reduzir número de vagas do Fies a partir de 2021
Mensalidade escolar em São Paulo mais que dobrou nos últimos dez anos

“Não importava se ele era pobre ou rico, só sei que ele tinha que estudar pra ter um futuro melhor”, disse Terezinha, mãe do adolescente.

Quando a eletricidade da casa foi cortada por falta de pagamento, Wellington passou oito meses usando a luz do poste que fica em frente à casa para estudar.

“Cortaram a energia e daí eu fiquei sabendo que estava tendo treinamento de matemática para a olimpíada lá no colégio. Aí como eu já gostava de matemática, eu procurei uma forma de tentar estudar para ganhar uma medalha, porque eles tinham bolsa para os medalhistas, aí eu pensei em ajudar minha família”, relata o estudante.

Ele conquistou medalha de ouro na Olimpíada Estadual de Matemática e prata na etapa nacional. Ele passou no vestibular e ganhou uma bolsas de estudos para ir para o Rio de Janeiro.

“Todo mundo tem dificuldade, todo mundo tem problema. Mas se você parar e ficar pensando nos seus problemas, isso não vai ajudar em nada. Você tem que buscar uma solução pra eles, e eu busquei isso estudando, procurando um futuro bom”, afirma Wellington.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×